Documentos de apoio à actividade Docente

Ano Lectivo 2009/2010

terça-feira, 12 de outubro de 2010

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE
Ano Lectivo 2010/2011

NOTA INFORMATIVA

Avaliação de Desempenho do Pessoal Docente

O Decreto Regulamentar n.º 2/2010, de 23 de Junho, regulamenta o sistema de avaliação do desempenho do pessoal docente da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, a partir do ciclo de avaliação de 2009-2011.

Assim, para efeitos do previsto nos n.º 1 e 2 do artigo 15.º do supramencionado Decreto Regulamentar, informa-se o seguinte:

1. Para efeitos do disposto nos nº 1 e 2 do artigo 9.º (Observação de aulas) daquele Decreto Regulamentar, deverá o interessado entregar o requerimento nos Serviços de Administração Escolar deste Agrupamento (ver o calendário).

2. A apresentação de objectivos individuais, a que se refere o artigo 8.º daquele diploma, tem carácter facultativo. Os docentes que pretendam apresentá-los deverão dirigir a respectiva proposta ao Director, utilizando o modelo do Agrupamento, e fazer sua entrega nos Serviços de Administração Escolar (ver o calendário).

3. O avaliado pode requerer a observação de uma terceira aula. Para esse efeito, deverá o avaliado requerer através de formulário próprio dirigido ao Director, a entregar nos Serviços de Administração Escolar, (ver o calendário).

4. Os docentes que, até ao final do ano escolar 2010/2011, estejam em condições de reunir os requisitos legais para a aposentação ou requeiram, nos termos legais, a aposentação antecipada, podem ser dispensados da avaliação mediante apresentação de requerimento nesse sentido ao Director (ver o calendário).

5. Os docentes que por força do exercício de cargos ou funções, que não possa haver lugar a observação de aulas , solicitam mediante requerimento a sua avaliação através de ponderação curricular (ver o calendário).

O Director







Calendarização

Nos termos do n.º 1 do Anexo I do Despacho n.º 14420/2010, de 15 de Setembro, é estabelecido o seguinte calendário anual do processo de avaliação de desempenho do pessoal docente para o biénio 2009-2011.







Legislação









Setúbal, 4 de Outubro de 2010

O Director

António Baptista

quarta-feira, 16 de junho de 2010

AVALIAÇÃO - 3º PERÍODO LECTIVO

6º Caderno de Apoio à Actividade do Director de Turma



Documento de Apoio aos Secretários das Reuniões de Avaliação - 3º Período



Formulário - Acta das Reuniões de Avaliação - 3º Período



Formulário - Folha de Presenças nas Reuniões de Avaliação - 3º Período














sexta-feira, 12 de março de 2010

AVALIAÇÃO - 2º PERÍODO LECTIVO


DOCUMENTOS


5º Caderno de Apoio à Actividade do Director de Turma



Documento de Apoio aos Secretários das Reuniões de Avaliação - 2º Período



Formulário - Acta das Reuniões de Avaliação - 2º Período



Formulário - Folha de Presenças nas Reuniões de Avaliação - 2º Período

quarta-feira, 3 de março de 2010

INFORMAÇÃO

AVALIAÇÃO/APRECIAÇÃO INTERCALAR


Até à revisão do regime de avaliação do desempenho docente consignado no Estatuto da Carreira dos educadores dos Ensinos Básicos e Secundário, aplica-se o regime simplificado definido no DR nº 1-A/2009, de 5 de Janeiro aos docentes que se encontram nas seguintes condições:

1 - Contratados.

2 - Reúnam condições para progredir ao escalão seguinte entre 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2010(alínea b),do nº6 ,do artº 7 , do DL nº 270/2009) e apresentem requerimento.

3 - Tenham obtido menções inferiores a Bom no último ciclo de avaliação.




Documentos:








Notas:

1. Os procedimentos são os constantes no DR nº 1-A/2009, de 5 de Janeiro, nomeadamente no que se refere a calendários, prazos, avaliadores, menções e quotas.

2. Aquando da atribuição da menção, o docente progride com efeitos à data do completamento do módulo, tal como ocorreu no ciclo de avaliação anterior.

3. Legislação a consultar: DR nº 1-A/2009, de 5 de Janeiro; DL nº 270/2009, de 30 de Setembro; Nota informativa de 5 de Fevereiro de 2009

4. Este calendário poderá sofrer alterações no caso de nova legislação.


O Director

António Baptista

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Avaliação Externa no Agrupamento - Informação


Ligação ao portal da Inspecção Geral da Educação


Apresentação sobre Avaliação Interna no AVELT





Apresentação sobre Avaliação Externa no AVELT



quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Avaliação Intercalar - 2º Período


Documentos de Apoio


4º Caderno de Apoio à Actividade do Director de Turma



ACTA - Formulário


sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Plano Anual de Actividades
Ano Lectivo 2009/2010

Já disponível - Consulte AQUI!!!...

Plano Anual de Actividades 2009/2010

Aprovado no Conselho Geral em 5 de Janeiro de 2010.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

AVALIAÇÃO - 1º PERÍODO LECTIVO
Documentos de Apoio

DOCUMENTOS


3º Caderno de Apoio à Actividade do Director de Turma


Documento de Apoio aos Secretários das Reuniões de Avaliação


Formulário - Acta das Reuniões de Avaliação


Formulário - Folha de Presenças

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Avaliação Desempenho Docente

INFORMAÇÃO

Informam-se todos os docentes que de acordo com o DR nº1-A/2009 de 5 de Janeiro e o DR nº 14/2009, 21 de Agosto, o calendário do desenvolvimento do processo de avaliação, é o seguinte:

NOTA: Passível de ser alterado

BIÉNIO 2009/2011

DOCENTES DO QUADRO DE AGRUPAMENTO/QZP - BIÉNIO 2009/2011

ANO LECTIVO 2009/2010

CONTRATADOS EM 2010/2011

Setúbal, 30 de Outubro de 2009

O Director

António Manuel Baptista Dias

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

REGULAMENTO DISICPLINAR - 2009/2010

Clicar para obter os documentos pretendidos:













sexta-feira, 16 de outubro de 2009

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES
- Ano Lectivo 2009/2010

Estes documentos estarão, igulamente disponíveis nas barrar laterais de outros espaços online de apoio à actividade docente.



Formulário de Avaliação do Plano Anual de Actividades
1º Período

domingo, 20 de setembro de 2009

Clicar para consultar






Nota: Estes documentos poderão ser igualmente consultados na barra lateral dos blogues das diferentes estruturas de apoio à actividade do Agrupamento, nomedamente Órgãos de Gestão e Departamentos. Podem igualmente ser obtidos através da barra lateral do blogue «Documentos de Apoio à Actividade Docente» http://docapactdocavelt.blogspot.com/

segunda-feira, 6 de julho de 2009

AUTO-AVALIAÇÃO
DO DESEMPENHO DOCENTE

ORDEM DE SERVIÇO Nº 5/2009

Avisam-se todos os docentes que a ficha de auto-avaliação deverá ser entregue até ao dia 15 de Julho de 2009, nos Serviços Administrativos do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi.

Setúbal, 29 de Junho de 2009

O Director do AVELT

António Manuel Baptista Dias


Para obter a ficha de auto-avaliação do DGRHE
clique aqui


Para obter a ficha de auto-avaliação do AVELT (baseada na do DGRHE)
clique aqui

domingo, 14 de junho de 2009

Oficina de Artes e Ofícios Têxteis

«Disciplina de oferta de escola

na área da educação artística que pretende aplicar novas técnicas a formas tradicionais, criar novas formas utilizando velhas tecnologias, aplicar saberes antigos a conceitos modernos, cruzar os saberes de artesãos e designers numa perspectiva de complementaridade e recriação...

O início de tudo em 2007

A disciplina começou a funcionar no ano lectivo de 2007/2008 em regime semestral ao ritmo de uma aulas de 90 minutos por semana, com uma turma de sétimo ano.
Sem saberem bem ao que vinham, com poucos ou nehuns conhecimentos nesta área, foram no entanto alunos aplicados e empenhados!

Fizeram-se gatos, ursos, morcegos, taratarugas, cobras e alguns seres estranhos(!), bolas, dados e mais algumas coisas cujo registo na altura não se fez...»
Professora Fátima Pais, in http://oaotluisatodi.blogspot.com

Avaliação do Desempenho Docente

ORDEM DE SERVIÇO Nº4/2009

Avisam-se todos os docentes que no seguimento da Informação nº 14, de 30 de Janeiro de 2009 (Calendário Anual de Desenvolvimento do Processo de Avaliação) todos os docentes devem proceder à entrega da ficha de auto-avaliação até ao dia 3 de Julho de 2009, nos Serviços Administrativos do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi, em suporte de papel.

A mesma está disponível no sítio da DGRHE, no blogue do Agrupamento e nos Serviços Administrativos.

Setúbal, 09 de Junho de 2009

O Presidente do Conselho Executivo

António Manuel Baptista Dias



Disponíveis para consulta os seguintes documentos:

Calendário anual do desenvolvimento do processo de Avaliação do Desempenho Docente
CLIQUE AQUI PARA CONSULTA


Decreto Regulamentar nº1-A/2009, de 5 de Janeiro
CLIQUE AQUI PARA CONSULTA


Decreto Regulamentar nº 2/2008, de 10 de Janeiro
CLIQUE AQUI PARA CONSULTA


Anexo IV - Docentes 1º, 2º, 3º e Secundária – auto-avaliação (em branco)
CLIQUE AQUI PARA CONSULTA


Ficha de Registo do Conselho Executivo
CLIQUE AQUI PARA CONSULTA

segunda-feira, 16 de março de 2009

Semana da Leitura



Avaliação 2º Período


domingo, 8 de fevereiro de 2009

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE


INSTRUMENTOS

NOVIDADES
























sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE


INFORMAÇÃO Nº 14


Informam-se todos os docentes que no seguimento da publicação do Decreto-Regulamentar nº1-A/2009, de 5 de Janeiro, o calendário anual do desenvolvimento do processo de avaliação, conforme o nº 1, do artigo 2 da legislação em presença é o seguinte:



Setúbal, 30 de Janeiro de 2009
O Presidente do Conselho Executivo,
António Manuel Baptista Dias

CONCURSO DE PROFESSORES 2009/2010

INFORMAÇÃO Nº 13

CONCURSO DE PROFESSORES 2009/2010


O objectivo das alterações introduzidas é conferir maior estabilidade ao sistema educativo, aos professores, aos alunos e famílias, criando condições para uma efectiva continuidade pedagógica, para a consolidação dos projectos educativos das escolas e promover igualmente a estabilização das expectativas dos docentes face ao local de trabalho.

Alterações mais significativas:

1 - Quadros de Agrupamento de Escolas (QA) e fim dos Quadros de Zona Pedagógica (QZP)

Os quadros de escola são convertidos em quadros de agrupamentos de escolas. Mantêm-se os quadros de escola não agrupada.

Os quadros de zona pedagógica extinguem-se à medida que os docentes desses quadros forem colocados em quadros de Agrupamento ou escola não agrupada.

O crescimento do numero de alunos e a aposentação de muitos professores irá permitir a abertura de um maior número de vagas.

Estima-se que na larga maioria dos grupos de recrutamento e na larga maioria dos QZP os professores obtenham lugar em quadros de agrupamento ou de escola não agrupada.

Apenas pode existir alguma dificuldade de colocação, por inexistência de lugares ou de horários nos grupos de recrutamento 100,(Pré-escolar) 110 (1º ciclo), 300 (Português) e 330 (Inglês) nos quadros de zona pedagógica do interior do país.

2 - Bolsa de Recrutamento

Com os docentes que não obtenham colocação em lugar do quadro ainda em concurso será criada uma bolsa de recrutamento.

A colocação por via da bolsa de recrutamento é anual, podendo, no entanto, ser renovada com a concordância do professor se a necessidade se mantiver no ano seguinte.

As colocações a partir de 1 de Setembro acontecem à medida que as necessidades se verificam (e não no esquema das actuais cíclicas), o que permite uma resposta mais rápida às necessidades das escolas. Todo o processo, quer de selecção, quer de notificação do docente colocado, será electrónico, de modo a substituir mais rapidamente os docentes.

Mecânica do Concurso

CONCURSO INTERNO

Colocação dos professores de Quadro de Escola, Quadro de Zona Pedagógica nas vagas dos quadros de agrupamento e de escola não agrupada.

Quem concorre?

Os professores dos quadros de escola que queiram mudar de agrupamento/escola não agrupada e todos os professores de QZP.

Como se concorre?

- Concurso de 4 em 4 anos.

- Os professores dos quadros de escola colocam os códigos dos agrupamentos ou escolas não agrupadas a que queiram concorrer.

- Os professores de QZP concorrem aos agrupamentos/escolas não agrupadas a que queiram concorrer. - Os professores de QZP são obrigatoriamente candidatos aos agrupamentos/escolas da zona pedagógica a que se encontram vinculados.

CONCURSO EXTERNO

Colocação de professores profissionalizados nas vagas dos quadros de agrupamento ou de escola não agrupada que não sejam preenchidas pelo concurso interno

Quem concorre?

Os docentes que não pertencem aos quadros e queiram concorrer a um Quadro de Agrupamento/ escola não agrupada.

Como se concorre?

- Concurso de 4 em 4 anos.

- Podem indicar até 100 agrupamentos/escolas não agrupadas, 50 códigos de concelhos, ou códigos de quadros de zona pedagógica, como forma de indicarem escolas desses concelhos ou QZPs.

CONCURSO ANUAL PARA NECESSIDADES TRANSITÓRIAS

Colocação de professores dos quadros de escola, com ausência de componente lectiva, e dos QZP não colocados no concurso interno, para vagas ou para horários completos declarados pelas escolas.

Colocação de professores em condições específicas.

Colocação requerendo destacamento para aproximação à residência nas vagas não ocupadas.

Colocação de professores com contratação anual para necessidades temporárias (renovável até quatro anos, para os horários completos).

Quem concorre?

- Os professores dos QE e QZP sem componente lectiva.

- Os professores dos quadros requerendo destacamento por condições específicas.

- Os professores dos quadros requerendo destacamento para aproximação à residência.

- Os candidatos a contrato.

Como se concorre?

- Concurso anual.

- Através da aplicação seleccionam Agrupamentos ou escolas não agrupadas, do mesmo modo que no concurso interno/externo.

- O contrato é renovável até quatro anos, para os horários completos.

Definição de Prioridades:

- Colocação de professores do QE, com ausência de componente lectiva, e dos QZP não colocados no concurso interno, para vagas ou para horários completos declarados pelas escolas

- Colocação de professores requerendo destacamento em condições específicas

- Colocação de professores requerendo destacamento para aproximação à residência nas vagas não ocupadas

- Colocação de professores com contratação anual para necessidades temporárias (renovável até quatro anos, para os horários completos)

BOLSA DE RECRUTAMENTO

- Mecanismo que substituirá as colocações cíclicas através do qual as escolas suprirão as suas necessidades residuais de docentes.

Quem?

- Professores sem componente lectiva ou por colocar (QA/QE, QZP)

- Candidatos a contrato.

Como se processa?

- Até 31 de Agosto, colocação nacional de professores na bolsa de recrutamento para preenchimento de necessidades.

- Depois de 1 Setembro até 31 de Dezembro, as escolas recorrem à bolsa à medida que as necessidades surgem e os professores são colocados segundo a lista de graduação.

- A partir de Janeiro contratação directa pelas escolas.

- Esta bolsa constitui-se anualmente com os professores a concurso.

Para os professores dos actuais QE

Mantêm-se nas escolas onde estão, passando a pertencer ao Quadro do respectivo Agrupamento de Escolas/escola não agrupada.

Podem concorrer a outros Quadros de Agrupamento/Escola não agrupada, no âmbito do Concurso Interno, caso queiram mudar de Quadro de Agrupamento.

Para os professores dos actuais QZP

Concorrem obrigatoriamente a vagas dos quadros de agrupamento ou de escola da respectiva zona pedagógica, ou a lugares dos quadros de agrupamento ou de escola integrando outras zonas caso queiram mudar.

Os professores dos Quadros de Zona Pedagógica que não obtiverem lugar nos quadros de agrupamento ou de/escola não agrupada mantêm-se em quadro de zona até à obtenção de lugar e devem concorrer aos horários disponíveis nas escolas ou agrupamentos integrado o seu quadro de zona e um outro quadro de zona de uma lista divulgada no aviso de abertura do concurso especificamente para o seu grupo de recrutamento.

Para os professores contratados

Candidatam-se ao Concurso Externo para aceder aos quadros de agrupamento ou de Escola não agrupada. Se não forem colocados podem candidatar-se ao concurso anual para as necessidades transitórias e à Bolsa de Recrutamento. São colocados mediante as necessidades da escola. O seu contrato pode ser renovado, até ao limite de quatro escolares anos, caso se trate de horário completo, se mantenha a necessidade de contratação e não exista na Bolsa de Recrutamento nenhum professor de quadro de agrupamento, de escola não agrupada ou de QZP que possa ser colocado nesse horário.

Nota: Aguarda-se a publicação da legislação regulamentar deste concurso.

Setúbal, 29 de Janeiro de 2009
O Conselho Executivo

sábado, 17 de janeiro de 2009

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE

Ordem de Serviço nº 3/2009

Avisam-se todos os docentes que na sequência da publicação do Decreto Regulamentar nº 1-A/2009 de 5 de Janeiro, relativa ao regime de avaliação de desempenho, devem proceder à entrega dos objectivos individuais, na secretaria do Agrupamento, até ao dia 28 de Janeiro de 2009, conforme o nº 2 do Artº 2º da legislação anteriormente citada, em documento elaborado para o efeito, disponível nos Serviços Administrativos, junto das Coordenadores (as) de Escola e no blogue.

Setúbal – Agrupamento Vertical de Escolas Luisa Todi, 13 de Janeiro de 2009

O Presidente do Conselho Executivo
António Manuel Baptista Dias



Ordem de Serviço nº 4 /2009

Assunto: Opções de cada docente acerca da avaliação de desempenho – Decreto Regulamentar nº 1–A/2009.

Cumpre-me informar todos os docentes que na sequência da publicação do Decreto Regulamentar nº 1–A/2009 de 5 de Janeiro, relativa ao regime transitório da avaliação de desempenho, as opções de cada professor vertidas no normativo em presença são as seguintes:

1 – Os docentes que pretendam que a sua avaliação seja realizada pelo Coordenador do Departamento na componente cientifico – pedagógica, incluindo a observação de duas aulas, deverão requerê-lo, por escrito, ao Presidente do Conselho Executivo, até ao dia 28 de Janeiro, conforme o nº 2 do Artº 3º. Poderão ainda solicitar, se assim o entenderem e desejarem a observação de uma terceira aula, conforme o Artº 7º.

2 – Os docentes que pretendam ser avaliados por um avaliador do mesmo grupo de recrutamento deverão também requerê-lo, até à mesma data, conforme Artº 4º.

3 – Os docentes que reúnam os requisitos legais para a aposentação ou requeiram, nos termos legais, a aposentação antecipada, poderão ser dispensados da avaliação, mediante requerimento ao Presidente do Conselho Executivo, conforme o Artº 12º.

Todos os docentes têm à disposição nos Serviços Administrativos, Coordenação de Escola, blogue, um modelo de requerimento.

Observação: Apelo a todos os docentes que façam uma leitura atenta e cuidadosa de todos os normativos relacionados com a avaliação de desempenho do pessoal docente, a saber:

- D.L. nº 15/07, 19 de Janeiro
- D.R. nº 2/08, 10 de Janeiro
- D.R. nº 11/08, 23 de Janeiro
- D.R. nº 1-A/09, 05 Janeiro
- Despacho nº 7465/08, 13 de Março
- Despacho nº 20131/08, 30 de Julho
- Despacho nº 27136/08, 24 de Outubro
- Despacho nº 31996/08, 16 de Dezembro
- Despacho nº 32047/08, 16 de Dezembro
- Despacho nº 32048/08, 16 de Dezembro

O Presidente do Conselho Executivo
António Manuel Baptista Dias

AVELT – Modelo de Requerimento Avaliação Docente2008/2009

AVELT – Objectivos Individuais

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Plano Anual de Actividades
Ano Lectivo 2008/2009

Já disponível após aprovação pelo Conselho Pedagógico
(aguarda ratificação pelo Conselho Geral Transitório)

http://planodeactividadesavelt.blogspot.com/

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

COORDENAÇÃO DOS DIRECTORES DE TURMA


IMPORTANTE


DOCUMENTAÇÃO RELEVANTE PARA A ACTIVIDADE DOS DIRECTORES DE TURMA


sexta-feira, 19 de setembro de 2008

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE


IMPORTANTE


DOCUMENTAÇÃO RELEVANTE


quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Mapa de Reuniões do 3º Ciclo


CALENDÁRIO

Setúbal, 16 de Setembro de 2008

O Presidente do Conselho Executivo

CALENDÁRIO DE APRESENTAÇÕES
ANO LECTIVO 2008/2009


INFORMAÇÃO

A recepção aos alunos do 5º ano efectuar-se-á no dia 19 de Setembro, contando com a presença de todos os docentes do respectivo Conselho de Turma.

A Ordem de Trabalhos será a seguinte:

Ponto um - Apresentação dos professores, alunos e encarregados de educação (30 minutos);
Ponto dois - Visita à escola (30 minutos);
Ponto três - Informação e definição de estratégias de trabalho (30 minutos).

No primeiro momento, para além da apresentação serão prestadas informações que os docentes considerem importantes. O Director de Turma distribuirá uma agenda que poderá ser explorada neste primeiro momento e nas aulas de Formação Cívica. Deverão neste dia realçar o facto da escola ser nova e da necessidade de preservar o que é dos alunos.

Na visita à escola, o DT e secretário ou outro docente deverão indicar os espaços fulcrais, nomeadamente os WC, o bar, o refeitório, o serviço administrativo, a biblioteca…. passando pela exposição de clubes e projectos, mostrando a oferta que existirá e onde podem participar.

Por fim, o Conselho de Turma reúne-se numa primeira abordagem ao PCT.

Neste dia, realizar-se-ão ainda reuniões de PCT dos 7º, 8º e 9ºAnos de Escolaridade, de acordo com mapa anexo, tendo como Ordem de Trabalhos o seguinte:

Ponto um - Informações;
Ponto dois - Definição de estratégias de trabalho;
Ponto três - Outros assuntos.

Os Conselhos de Turma de 6º ano serão convocados pelo Director de Turma durante o primeiro mês de actividades lectivas (entre 22 de Setembro e 22 de Outubro).

CALENDÁRIO DAS APRESENTAÇÕES
5º ANO DE ESCOLARIDADE


quarta-feira, 10 de setembro de 2008

NOVO REGULAMENTO INTERNO DO AGRUPAMENTO

Apresenta-se aqui o NOVO REGULAMENTO INTERNO do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi, aprovado em sede de Assembleia de Agrupamento.

Interessa na consulta ter em conta:

Cor VERDE - Pontos da anterior regulamentação com nova numeração, mas sem alteração de conteúdo;

Cor ROXA - Nova regulamentação com aprovação condicionada segundo orientações contidas em Nota de Rodapé;

Cor AZUL - Nova regulamentação.




NOTA: Este Regulamento Interno incorpora toda a matéria legislativa mais recente com excepção dos elementos relacionados com a avaliação de docentes a partir do ano lectivo 2008/2009 (ainda a aguardar discussão no seio da comunidade docente do Agrupamento) e as matérias relacionadas com o novo Regime de Autonomia, Administração e Gestão das Escolas e Agrupamentos - Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril. Competirá ao futuro Conselho Geral Transitório, cujas condições de funcionamento estarão reunidas até ao próximo dia 30 de Setembro de 2008, promover a reflexão, a constituição e a aprovação dos conteúdos referidos.

Logotipo do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi

Aprovado na Assembleia de Agrupamento realizada em 4 de Setembro de 2008, na sequência de concurso público levado a efeito no decorrer do ano lectivo de 2007/2008.

Em vigor partir do dia 5 de Setembro de 2008.

Autoria - Fátima Pais

terça-feira, 9 de setembro de 2008

ACTIVIDADES DE PREPARAÇÃO DO ARRANQUE DO ANO LECTIVO


ATENÇÃO!!!

NOVA CALENDARIZAÇÃO

Determinada a 8 de Setembro de 2008



CADA DOCENTE ESTÁ CONVOCADO APENAS PARA AS REUNIÕES ACIMA REFERIDAS. NOS RESTANTES DIAS, ATÉ AO INÍCIO DAS AULAS, OS PROFESSORES TRABALHAM AUTONOMAMENTE NO QUE ENTENDAM NECESSÁRIO. NÃO SERÁ MARCADO HORÁRIO NEM LOCAL PARA O EFEITO.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

ACTIVIDADES DE PREPARAÇÃO DO ARRANQUE DO ANO LECTIVO


ATENÇÃO!!!

NOVO CALENDÁRIO


segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Abertura do Ano Lectivo 2008/2009

Veja aqui as actividades agendadas.

A calendarização prevista e o local de realização das diferentes actividades podem sofrer alterações pelo que se recomenda uma consulta frequente e atenta.

sábado, 19 de julho de 2008

ORGANIZAÇÃO DO ANO LECTIVO 2008/2009

Novos Despachos Orientadores:

Sobre as Áreas Curriculares Não Disciplinares


Tendo presente o disposto nos artigos 7º e 8º da Lei nº 46/86, de 14 de Outubro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 115/97, de 19 de Setembro e pela Lei nº 49/2005, de 30 de Agosto e, bem assim, o que se encontra contemplado em matéria de organização e gestão do currículo nacional no Decreto-Lei nº 6/2001, de 18 de Janeiro, com a redacção introduzida pelo Decreto-Lei nº 209/2002, de 17 de Outubro, A Secretaria de Estado da Educação, por Despacho, determina sobre as Áreas Curriculares Não Disciplinares o que clicando aqui se pode ler.

Sobre a organização do Ano lectivo

Tendo presente os princípios consignados nos artigos 3.º, 4.º, 8.º e 9.º do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, que aprovou o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário;considerando ainda o disposto nos artigos 35.º, 76.º a 80.º, 82.º, 83.º, 91.º e 94.º, todos do Estatuto dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário (ECD), e o n.º 2 e o n.º 4 do artigo 12º do Decreto Regulamentar n.º 2/2008, de 10 de Janeiro, determina o Minstério da Educação sobre a organização do Ano Lectivo 2008/2009 o que clicando aqui se pode ler.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

GRELHAS DE RECOLHA DE INFORMAÇÃO SOBRE A ACTIVIDADE DOS DOCENTES

Ano Lectivo 2007/2008


Informação Interna Nº 35


Enquadramento Legal:

Decreto-lei nº 15/2007 de 19 de Janeiro,
Decreto-Regulamentar nº2/2008 de 10 de Janeiro
Memorando de Entendimento entre o M.E. e os Sindicatos


Informam-se todos os docentes que é necessário preencherem esta ficha de Recolha de Informação e entregá-la até ao dia 15 de Julho de 2008 nos Serviços Administrativos.


Setúbal, 03 de Julho de 2008

O Presidente do Conselho Executivo
António Baptista Dias




Exemplos de preenchimento

Actividade Docente no 1º Ciclo do Ensino Básico

Actividade Docente nos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico


sábado, 21 de junho de 2008

Calendário Escolar - Ano Lectivo 2008/2009

Clique aqui

sexta-feira, 13 de junho de 2008



PREPARAÇÃO DO ANO LECTIVO 2008/2009


NOVIDADES
– Orientações já aprovadas em Conselho Pedagógico



Critérios de Distribuição de Serviço 2008/2009

Critérios de Constituição de Turmas 2008/2009


AVALIAÇÃO - 3º PERÍODO

NOVIDADES – Modelo de Acta das Reuniões de Avaliação - 3º Período

CLIQUE AQUI PARA CONSULTA

terça-feira, 10 de junho de 2008

EXAMES 2008 - INFORMAÇÃO IMPORTANTE

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Exercício de Evacuação JUNHO 2008 - Notas Informativas I

PLANO DE EVACUAÇÃO EM SITUAÇÃO DE CATÁSTROFE

INFORMAÇÃO/NORMAS E PROCEDIMENTOS

Num dos dias da semana de 2 a 6 Junho 2008, pelas 10h e 30mn, no turno da manhã, e pelas 15h 30m, no turno da tarde, três toques consecutivos da campainha da escola nova anunciarão o início do exercício de simulacro.

Um quarto toque após os outros três dá início à evacuação dos edifícios em situação de catástrofe natural, no caso simulação em que o cenário é a ocorrência de um sismo.

Estes exercícios estão integrados no plano de actividades do Plano Emergência Interno da EB 2/3 de Luísa Todi, para o ano lectivo de 2007/2008, têm como objectivo “Educar para a Segurança” e cumprem orientações da Administração Central nesta matéria.

Os professores deverão explicar aos alunos o que se pretende com os exercícios de simulação, incluindo os procedimentos adequados no caso de ocorrência de um sismo treinando os alunos para tal.

A evacuação da sala de aula deve ser feita após o toque de evacuação, com calma e em fila única levando à frente um chefe de fila (que deverá ser o delegado de turma) e a trás um cerra fila que será sempre o professor.

O funcionário de serviço no local é o último a abandonar o mesmo, depois de ter verificado que não ficou nenhum aluno, turma ou professor nas salas, gabinetes ou WC. Desliga então os quadros eléctricos parciais da sua zona e dirige-se para o Ponto de Reunião.

No edifício novo quem se encontre no Piso 1 deverá seguir a sinalização de saída de emergência e dirigir-se para o Ponto de Reunião, o qual se situa em frente à Sala de Professores e devidamente assinalado no poste.

Quem se encontre no Piso 2, deve ter em atenção o seu caminho de evacuação:

• As salas A10, A11, A12, A13, A14, A15 e WCs saem pelas escadas do lado Nascente em fila e encostados à parede sempre pela direita e seguindo a sinalização de saída de emergência até ao Ponto de Reunião;

• As salas A16, A17, A18, A19, A20, A21, A22, AG1, AG2 e AG3 saem pelas escadas do lado Poente em fila e encostados à parede sempre pela direita e seguindo a sinalização de saída emergência até ao Ponto de Reunião.

A circulação dentro do edifício deve ser feita encostado à parede e sempre pela direita.

Nas instalações antigas da escola pede-se que sigam as instruções que se encontram atrás das portas nas salas.

Espera-se de todos o máximo empenho considerando a relevância que a adopção de automatismos de evacuação pode constituir na prevenção, e, sobretudo, na defesa de vidas em situação real de catástrofe.

Conforme está previsto existirão, nas portas das diversas instalações, Plantas de Evacuação, assim como algumas instruções.

São dois os Pontos de Reunião

Ponto de Reunião 1 – Para onde se devem dirigir todos os que se encontrem no edifício novo e na Sala dos Directores de Turma, no Refeitório, no Bufete, na Sala dos Professores, no SASE, na Papelaria, na Rádio Escolar, Gabinete UNIVA e na Sala dos Apoios Educativos. Para esta zona dirigem-se também todos aqueles que se encontram na Secretaria, Reprografia, PBX e Conselho Executivo e quem se encontrar no espaço da entrada no recinto escolar.

Ponto de Reunião 2 (antiga zona 4) – Para onde se devem dirigir todos aqueles que se encontrem nas restantes salas de aula e espaços escolares.

Cada Ponto de Reunião terá um Coordenador devidamente identificado que orientará a evacuação no local.

Os alunos sem aulas, dispersos nos pátios, deverão concentrar-se no Ponto de Reunião correspondente ao local onde se encontram e seguir as instruções dos Coordenadores, dos funcionários ou professores.

NORMAS GERAIS DE EVACUAÇÃO

Ao ouvir o sinal de alarme, três toques consecutivos da campainha do edifício novo, coloquem-se, se possível e de imediato, debaixo de uma carteira ou de uma mesa, protegendo a cabeça e afastando-se das janelas e armários.

O sinal de evacuação é dado por um quarto toque, e, só após este devem dar início à evacuação seguindo rigorosamente as normas e os procedimentos estabelecidos.

Lembrem-se:

No caso das salas de aula devem sair ordenadamente e por filas. Primeiro sai a fila mais perto da porta e assim sucessivamente indo à frente o delegado (chefe de fila). No caso de outras instalações é importante observar as orientações fornecidas pelo adulto.

Evitar o pânico e a fuga desordenada é imprescindível e significa estar disponível para acatar as orientações e ser disciplinado. Em situações de perigo é muito importante esta atitude. Só assim se podem salvar vidas!

O professor responsável pela turma é sempre o último a abandonar a instalação após verificar que mais ninguém permanece no local (cerra fila), fechando a porta.

Não esquecer o funcionário responsável do piso ou espaço é o último a abandonar o local depois de certificar que não ficou nenhum professor ou aluno para trás.

O material escolar é secundário! Deixem-no sobre a carteira ou em outro local qualquer. Abandonem a sala e fechem a porta.

Não parem nas portas de saída!

Sigam os percursos definidos e entretanto treinados, em silêncio, o mais possível afastado dos edifícios e, sobretudo, sem CORRER!

Não voltem para atrás!

Dirijam-se para o local que o professor ou o funcionário presente indicar.

NÃO ESQUECER! O responsável do grupo ou turma deve dar conhecimento da presença no Ponto de Reunião a um dos Coordenadores que está identificado com colete laranja, informando do desaparecimento de algum aluno ou de alguma anomalia ocorrida.

Dos pais e encarregados de educação espera-se o contributo que passa pela sensibilização dos seus educandos para a importância do maior empenho colocado na actividade agora referida.

Nota: Os professores que se encontram no edifício novo deverão treinar com os seus alunos a evacuação pelo menos uma vez.

Agradecemos o envolvimento de todos. Investir em segurança é muito importante!

Pela Equipa de Segurança

Professor João Rato

sábado, 17 de maio de 2008

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

NOTA: o atraso na publicação deste "POST" está relacionado com o facto de o sítio gentilmente cedido prlo professor Joaquim Lopes para armazenamento de documentos ter mudado de endereço.

ANO LECTIVO 2007/2008

ENQUADRAMENTO LEGAL:

Decreto-Lei nº 15/2007, 19 de Janeiro.
Decreto Regulamentar nº 2/2008, 10 de Janeiro.
Memorando de entendimento entre o Ministério de Educação e os Sindicatos.

QUAIS OS DOCENTES QUE VÃO SER AVALIADOS?

Docentes Contratados:

- Obrigatoriamente docentes com 6 meses de trabalho efectivo no agrupamento;
- Com menos de seis meses poderão ser avaliados desde que o solicitem em requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Executivo, até ao dia 31 de Maio 2008.


Docentes do Quadro:

- Docentes do quadro que completam até ao dia 31 de Agosto de 2008 o módulo de tempo de serviço para mudança de escalão (a identificação destes docentes será feita na lista a publicar em Maio).

QUEM AVALIA ESTES DOCENTES?

- O Presidente do Conselho Executivo do Agrupamento ou uma das Vice-presidente por via da delegação de competências.

QUAIS OS PARÂMETROS A AVALIAR?*

- Assiduidade;
- Serviço distribuído;
- Participação em acções de formação contínua(quando obrigatória e desde que existisse oferta financiada nos termos legais).

* Esta avaliação reporta-se de Janeiro a Julho de 2008

PROCEDIMENTOS A APLICAR:

Ficha de auto-avaliação - ANEXO 1:
- o Conselho Executivo entrega a ficha aos docentes na 1ª semana de Junho, para - nessa ficha preenchem apenas os items 1, 5, 9, 10 e 12.

Entrevista:
- Realizar-se-á no mês de Julho em datas a calendarizar;
- O docente apresenta ao avaliador a sua ficha de auto-avaliação;
- O avaliador terá presente uma ficha de registo com os parâmetros a avaliar.

ONDE SERÁ GUARDADA A DOCUMENTAÇÃO?

- Toda a documentação relativa à avaliação de desempenho seguirá para arquivo no processo individual do docente.

ANO LECTIVO 2008/2009

QUAIS OS DOCENTES QUE VÃO SER AVALIADOS?

- São avaliados todos os docentes em exercício de funções no agrupamento.

NOTA: no memorando de entendimento entre o Ministério da Educação e os Sindicatos deverá proceder-se à recolha de todos os elementos constantes dos registos administrativos da escola no ano lectivo 2007/08.

QUEM AVALIA ESTES DOCENTES?

- O Coordenador de Departamento (ou titular em delegação de competências) - ANEXO 2.


- O Presidente do Conselho Executivo do Agrupamento ou uma das Vice-presidente por via da delegação de competências.

QUEM AVALIA OS COORDENADORES DE DEPARTAMENTO?

- Um inspector;
- O Presidente do Conselho Executivo do Agrupamento ou uma das Vice-presidentes por via da delegação de competências.

QUEM AVALIA OS DOCENTES EM QUEM FORAM DELEGADAS COMPETÊNCIAS?

- O Coordenador de Departamento;
- O Presidente do Conselho Executivo do Agrupamento ou uma das Vice-presidente por via da delegação de competências.

COMISSÃO DE COORDENAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO (CCAD):

- Elementos da Comissão: Professores Luísa Costa, Ana Caetano, Céu Amaral, Paulo Brasil e Carmen Assunção.
- Foi elaborado o Regimento do CCAD.

INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO A APLICAR:

1 - As fichas disponibilizadas pelo Ministério da Educação (ficha de auto-avaliação, ficha de avaliação feita pelo coordenador…) – (www.dgrhe.min-edu.pt)
2 - Fichas de registo elaboradas no agrupamento, por uma equipa de docentes titulares*, que atempadamente serão divulgadas para discussão e recolha de contributos de todos os docentes, dado que terão de ser aprovadas no final do ano lectivo em curso em sede de Conselho Pedagógico (grelha para definição de objectivos individuais, grelha para plano de aula, grelha para registo de observação de aulas,…)
3 - Ficha de avaliação do Presidente do Conselho Executivo (proposta ainda em elaboração pelos presidentes de CE da região).

* Equipa: António Baptista, Luísa Costa, Cármen Assunção, Elisa Fonseca, Pedro Lemos, Armando Teixeira, Ana Caetano, Céu Amaral, Manuel Muge, Graça Lucas, Fátima Forreta e Paulo Brasil, aos quais se juntarão os docentes em quem foram delegadas competências.

METAS E INDICADORES DE MEDIDA

sexta-feira, 14 de março de 2008

AVALIAÇÃO - 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO


NOVIDADE

Orientações para as Reuniões de Avaliação

2º Período


CLIQUE AQUI PARA CONSULTA

  • Formulário de Avaliação do Plano Anual de Actividades 1º Período